‘Praia do Bitcoin’: vila de pescadores vira laboratório para uso de criptomoeda

18/06/2021

El Zonte passou pelo processo de “bitcoinização” antes mesmo de El Salvador se tornar o primeiro país a adotar a criptomoeda bitcoin como padrão monetário oficial

Dias depois de El Salvador se tornar o primeiro país a adotar a criptomoeda bitcoin como padrão monetário oficial, El Zonte, uma vila de pescadores da costa do Pacífico se tornou oficialmente o principal laboratório do uso da moeda digital no mundo.

Na verdade, o processo de “bitcoinização” de El Zonte antecede ao anúncio do governo do presidente ultradireitista Nayib Bukele da semana passada.

O lugarejo de cerca de 3.000 habitantes é bem pobre, com estradas de terra e sistema de saneamento básico deficiente. Em 2019, porém, um doador anônimo dos EUA começou a enviar bitcoins para organizações sem fins lucrativos de El Zonte, com o objetivo de criar no local um “ecossistema de criptomoeda sustentável”. Estabeleceu-se, então o que se passou a chamar de “Bitcoin Beach”, a praia do bitcoin.

Essas organizações ajudaram a estabelecer carteiras digitais para os moradores de El Zonte e deu suporte para que o comércio local – frequentado por surfistas e banhistas – criasse sistemas para aceitar pagamentos de Bitcoin.

Os residentes usam um sistema de pagamento de aplicativo semelhante ao Venmo para trocar Bitcoin, que foi desenvolvido por uma empresa de tecnologia da Califórnia chamada Galoy Money, relata uma reportagem da revista Slate. “Este foi o laboratório perfeito”, disse Chris Hunter, cofundador da empresa de administração de criptomoedas Galoy, à revista Slate. Hunter diz que El Zonte era um local privilegiado para testar o sistema de pagamento por bitcoins por causa da falta de encargos regulatórios e fiscais, pelo fato de a maioria dos comerciantes e moradores não terem cartões de crédito e pela dolarização da economia de El Salvador.

Cerca de 90% das famílias em El Zonte fazem hoje transações criptografadas para pagar coisas como mantimentos, serviços públicos e cuidados médicos. A maior dificuldade é que grande parte dos habitantes de El Zonte não tem telefones celulares e a infraestrutura de internet do local ainda é deficiente. Em todo o país, apenas 45% das pessoas têm acesso à rede mundial.

Apesar dos gargalos, que incluem a falta de qualidade de resolução dos celulares a leitura de QR Codes, El Zonte se tornou o melhor parâmetro para que o governo salvadorenho teste a eficiência da adoção do novo padrão monetário.

BY ALEXSANDER QUEIROZ SILVA
Fonte: Valor Investe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *