Parei de contar 5 mentiras sobre dinheiro

30/03/2021

Veja quais mentiras são essas e por que você deve parar de contá-las

no Dia da Mentira e, por isso, vim aqui contar para vocês cinco delas. Mas são mentiras sobre dinheiro que muita gente conta (sem nem perceber que não são verdade!) e eu costumava contar também. Quando parei de contá-las, no entanto, minha vida financeira melhorou.

Por isso, vou listar esses cinco “caôs” (como se diz na minha terra Rio de Janeiro), te explicar por que eles não são verdade e, claro, te dar o caminho das pedras para você cuidar melhor do seu dinheiro.

1) Para investir, preciso juntar dinheiro antes

Mentira! Você pode investir na poupança a partir de R$ 0,01. A poupança rende pouco? É verdade. Então você pode investir em títulos públicos pelo Tesouro Direto com R$ 31. Não quer emprestar dinheiro para o governo? Então empresta para um banco, investindo em um CDB (Certificado de Depósito Bancário) com R$ 100. Não quer nada disso porque quer investir em ações na bolsa? Então, primeiro, estude. E se você já estudou, sabe que não há um valor mínimo para investir em ações, então você pode investir com pouco.

2) O cartão de débito não tem nenhuma vantagem

Se você é daqueles que acredita que só vale a pena usar o débito se tiver desconto, saiba que isso pode ser uma mentira. Há pessoas que não conseguem se organizar bem usando o cartão de crédito (que, diferentemente do débito, pode te dar milhas ou pontos para trocar por outras coisas). Eu era assim no começo da minha vida financeira. Só conseguia ter noção do meu orçamento quando pagava no débito e via aquele dinheiro sumindo da minha conta. Então, se você ainda está começando a se organizar também, o débito é vantajoso pra você.

3) O cartão de crédito é o vilão das finanças

MEN-TI-RA. Os juros são altos? Muito (podem passar de 800% ao ano, como contei aqui). Mas não, ele não é necessariamente um vilão. Se você souber usá-lo, pode acumular pontos em programas de fidelidade e isso é uma vantagem.

Uma boa dica é usá-lo como se fosse débito. Por exemplo: comprou algo de R$ 10 no crédito? Entre no aplicativo do seu banco e pague, na mesma hora, R$ 10, para aquela compra sumir da sua fatura e você não ter surpresas depois (não sei se todos os bancos permitem isso, mas acho que a maioria, sim).

Mas uma outra dica importante é: atenção aos programas de fidelidade, calcule se as recompensas que você tem neles compensa o quanto você gasta com a anuidade do cartão. Caso contrário, é preferível usar um cartão sem benefícios, mas também sem anuidade. Ficou na dúvida? Vou listar aqui algumas matérias para você saber se é vantagem ou não.

4) Frete grátis

Fale a verdade: alguma vez você foi comprar algo em um site e acabou levando mais coisas do que gostaria pra “aproveitar o frete”? Quem nunca achou mais vantajoso gastar R$ 200 com frete grátis do que R$ 100 + R$ 20 de frete que atire a primeira pedra. Mas essa é uma “armadilha” dos e-commerces para nos fazer acreditar que devemos escolher mais itens para conseguir o frete grátis ou até mesmo para fazer aquela compra valer a pena (afinal, muita gente pensa “vou levar dois de uma vez para pagar um frete só!”).

5) Preciso aproveitar a promoção

A mesma máxima do frete serve para promoções. Muitas vezes acabamos comprando mais coisas do que precisamos por elas estarem na promoção, especialmente no supermercado. Às vezes, são coisas perecíveis que acabam estragando. E mesmo quando não são, na semana seguinte pode ter o mesmo item, só que de outra marca, por um preço melhor no supermercado. Então, não leve mais do que o necessário só porque algo está com desconto.

Fonte: Valor Investe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *