O que são, como funcionam e como viver de dividendos?

22/03/2021

Você já pensou em ter uma renda passiva e viver de dividendos? A independência financeira é o sonho de muitos investidores. E conseguir pagar as contas e garantir uma boa qualidade de vida a partir dos seus investimentos pode ser uma realidade.

Os dividendos são muito procurados por quem tem esse objetivo. Contudo, é fundamental entender como eles realmente funcionam e quando é possível recebê-los. Dessa maneira, você poderá traçar objetivos e planejar seus investimentos com isso em mente.

Para facilitar seu entendimento, não perca este conteúdo. Nele você saberá o que são os dividendos, quais investimentos podem ser utilizados e como viver com eles. Confira!

O que são dividendos?

Os dividendos são a divisão de lucros que as empresas de capital aberto listadas na bolsa fazem entre os acionistas. Ou seja, é uma fonte de renda que você pode ter ao ser sócio do negócio. Afinal, quando a companhia tem lucro, pode compartilhar com os sócios.

Ao abrir o capital na bolsa de valores, a empresa busca dinheiro para crescer e manter suas atividades. Com o tempo, é esperado que ela tenha resultados positivos. Nada mais justo do que dividir os ganhos com quem comprou suas ações, não é mesmo?

Para facilitar a compreensão, basta imaginar uma situação na qual você investe em uma empresa da família ou de um amigo. Você faz o investimento e, se o negócio prosperar, você terá lucro. A divisão destes lucros é, justamente, os dividendos.

As regras dessa divisão, como a frequência e percentual compartilhado, são definidas pela própria empresa. Os critérios para isso devem ser elencados no estatuto social, assinado pelos sócios fundadores, mas também podem ser encontrados em outras divulgações da companhia, como o formulário de referência. Assim, todo investidor pode conhecer os detalhes.

A divisão de lucros é obrigatória para todas as empresas no Brasil. A Lei n.º 6.404 de 1976 (conhecida como lei das S.A.) é que define essa obrigação. Entretanto, ela não determina um valor mínimo de pagamentos.

Por isso, é fundamental que o investidor busque saber como cada empresa realiza a distribuição. Além dos dados do estatuto e de divulgações complementares, você pode considerar o histórico de pagamento de proventos para avaliar.

Além das ações, os fundos imobiliários (FII) também podem pagar dividendos. Muitos deles pagam dividendos mensais.

Como os dividendos funcionam?

Além de saber o que são os dividendos, é muito importante que os investidores conheçam como eles funcionam. Ou seja, como acontecem os pagamentos e quem tem direito a recebê-los.

Como você viu, as ações e as cotas de fundos imobiliários dão direito ao recebimento de proventos. Elas são negociadas na bolsa de valores e podem ser compradas ou vendidas no pregão. Dessa maneira, é preciso organizar quem tem direito de receber os dividendos.

Existem três datas que você precisa conhecer para entender realmente como funciona o pagamento de dividendos e se planejar. Elas são a data de anúncio, a data ex-dividendos e a data de pagamento.

Confira a seguir o que cada uma significa!

Data de anúncio

O primeiro marco é a data de anúncio. É por ela que as empresas e administradoras de fundos avisam que vão pagar os dividendos. Nessa data elas mostram aos interessados qual é o valor do dividendo por cota ou ação, além do dia da distribuição.

Após o anúncio, ocorre a data de registro. É nesse dia que os investidores com direito ao recebimento de dividendos serão registrados. Assim, já fica certo quem receberá e qual é o valor a ser pago.

Data ex-dividendos

A data ex-dividendos é o dia que será utilizado como parâmetro para o pagamento dos proventos. O objetivo é ter uma data limite para demonstrar quem receberá os dividendos.

Para que você entenda melhor, confira um exemplo. Imagine que foi delimitada como data ex-dividendos o dia 12 de fevereiro de 2021. Então, se o acionista vender suas ações antes desse dia, será o novo detentor dos papéis que receberá o dinheiro.

Por outro lado, se os papéis foram vendidos a partir do dia 13 de fevereiro de 2021, o antigo acionista que receberá este provento.

Data de pagamento

Por fim, a data de pagamento é o dia em que os proventos são creditados aos investidores. Esse valor é depositado diretamente na conta do acionista ou cotista na corretora ou banco de investimentos.

Como viver de dividendos?

Após entender o que são os dividendos e como são distribuídos, você pode se preparar para viver de renda. A independência financeira é conquistada quando o investidor recebe renda passiva e, com ela, consegue arcar com seus custos de vida.

Assim, é possível investir com foco em dividendos, visando receber renda proveniente deles no futuro. E, dessa maneira, obter sua independência financeira.

Conheça alguns fatores que devem ser considerados se o seu objetivo é viver de dividendos!

Escolher bons pagadores de dividendos

O primeiro passo é escolher ativos ou fundos que são considerados bons pagadores de dividendos. Em relação às ações, o ideal é contar com empresas consolidadas no mercado, que atuam em setores perenes e com lucros constantes.

Empresas em crescimento podem ser boas opções quando se visa a valorização de papéis. Contudo, elas reinvestem grande parte de seu lucro, não focando na divisão com os acionistas.

Para determinar isso, é possível fazer uma análise de fundamentos da empresa. Além de pesquisar sobre a política de divisão de lucros da companhia, é importante verificar o nível de governança corporativa, as demonstrações financeiras e os indicadores financeiros, o histórico de pagamentos dos dividendos, dentre outros fatores (inclusive extrínsecos a empresa, como a situação econômica do país e do mundo). Assim, o investidor saberá como foram os resultados passados, além de se planejar para o futuro.

Conhecer seus objetivos e perfil de investidor

Também é fundamental traçar quais são seus objetivos com essa renda, quanto é necessário e qual é o seu perfil de investidor. Lembre-se que as ações e os fundos imobiliários são opções de renda variável, ou seja, não há garantias de rentabilidade.

Logo, é preciso conseguir lidar bem com os riscos. Desse modo, sempre verifique quanto de renda passiva você precisa e considere a diversificação da carteira. Alocar seus recursos em diversas alternativas protege seu capital contra desvalorização em determinados ativos.

Reinvestir no período de acumulação

Um ponto importante que deve ser considerado em relação aos dividendos é o reinvestimento do valor enquanto você estiver construindo patrimônio. Assim, tenha em mente que a renda recebida pode servir para aumentar o seu capital ao longo do tempo.

Fazer aportes frequentes e em diferentes alternativas também pode trazer mais segurança e rentabilidade. Desse modo, antes de receber a renda para custear seus gastos rotineiros, você conseguirá acumular mais patrimônio.

Agora você já sabe como viver de dividendos! Lembre-se de que é fundamental fazer boas análises para basear as suas decisões no mercado financeiro. Além disso, você pode contar com um profissional especializado para orientar no que for preciso. Assim, poderá optar pelos ativos mais adequados aos seus objetivos e perfil!

Fonte: Anbima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *