Governo prevê alta do PIB em 2,5% e déficit primário de R$ 170,5 bilhões em 2022

15/04/2021

As projeções para 2023 e 2024 também são de 2,5%. Já para este ano, foi mantida a projeção de 3,2%

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve crescer 2,5% em 2022, estimou há pouco o Ministério da Economia no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) do ano que vem, que será encaminhado ao Congresso Nacional.

As projeções para 2023 e 2024 também são de 2,5%. Já para este ano, foi mantida a projeção de 3,2%.

O ministério projeta que o IPCA acumulado de 2022 fique em 3,5%. A estimativa é de 3,2% para 2023 e para 2024. Para este ano, é de 4,4%.

Já para o INPC acumulado, o governo projeta 3,5% em 2022, 3,4% em 2023 e 3,5% em 2024. Para este ano, é de 4,3%.

Em relação ao IGP-DI acumulado, a expectativa é de alta de 3,6% em 2022, 4,0% em 2023 e em 2024. Para 2021, a projeção é de 5,1%. A grande de parâmetros econômicos utilizada é de 12 de março, a mesma utilizada para a avaliação do primeiro bimestre.

R$ 170,5 bilhões em déficit

O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022, divulgado há pouco pelo Ministério da Economia, estabelece como meta de resultado primário para o governo central um déficit de R$ 170,473 bilhões. Para 2023, o governo espera déficit de R$ 144,971 bilhões e, para 2024, de R$ 102,203 bilhões.

Legalmente, o governo precisa encaminhar ao Congresso o projeto com as diretrizes para o exercício seguinte até 15 de abril de cada ano.

Como antecipado pelo Valor, a meta de déficit primário para 2022 seria R$ 170,5 bilhões. A orientação do ministro da Economia, Paulo Guedes, é sinalizar a continuidade de uma trajetória de melhora no desempenho fiscal do país depois do déficit recorde verificado em 2020 devido à pandemia.

Para este ano, a LDO aprovada em dezembro definiu uma meta negativa em R$ 247,2 bilhões. O texto original do governo, apresentado em abril do ano passado, não previa uma meta, mas um alvo flexível, que variava conforme a receita. O movimento, inédito, foi questionado e, assim, foi fixada uma meta.

A projeção da dívida bruta do governo geral é de 87,2% do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano. O valor passará para 86,7% do PIB em 2022; 87,3% em 2023 e de 88,1% do PIB em 2024.

No caso da dívida líquida, a estimativa é de 65% do PIB no fim deste ano, passando para 67,1% do PIB em 2022; 70% do PIB em 2023 e 72,4% do PIB em 2024.

As estimativas constam do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022 que está sendo divulgado neste momento.

R$ 1,7 trilhão em receita primária

O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022 prevê uma receita primária total de R$ 1,772 trilhão (19,95% do PIB) para o ano que vem. A expectativa é que essa receita deve chegar a R$ 1,888 trilhão (19,82% do PIB) em 2023 e a R$ 2,018 trilhões (19,84% do PIB) em 2024.

No caso da receita administrada, a previsão é que seja de R$ 1,103 trilhão (12,41% do PIB) em 2022; de R$ 1,183 trilhão (12,42% do PIB) em 2023 e de R$ 1,268 trilhão (12,47% do PIB) em 2024.https://f5b5d906b2424d46e85005172cc8ed9f.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Pelo documento divulgado hoje pela equipe econômica, a despesa total deve chegar a R$ 1,621 trilhão (18,24% do PIB) em 2022; R$ 1,688 trilhão (17,72% do PIB) em 2023; e R$ 1,753 trilhão (17,24% do PIB) em 2024.

As despesas obrigatórias devem somar R$ 1,524 bilhões (17,15% do PIB) em 2022; R$ 1,603 bilhões (16,83% do PIB) em 2023; e R$ 1,665 bilhões (16,37% do PIB) em 2024.

Já as despesas discricionárias do Poder Executivo serão de R$ 96,674 bilhões (1,09% do PIB) em 2022; R$ 85,356 bilhões (0,90% do PIB) em 2023; e R$ 87,878 bilhões (0,86% do PIB) em 2024.

R$ 762,9 bilhão em despesas previdenciárias

O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022 prevê as despesas previdenciárias e os gastos com pagamento de salários devem ter redução em percentuais do PIB de 2022 a 2024.

As despesas previdenciárias devem somar R$ 762,905 bilhões no ano que vem. Para 2023, esse valor será de R$ 810,476 bilhões e para 2024 de R$ 837,803 bilhões.

Em relação ao PIB, essa despesa terá uma pequena redução ao longo dos anos. Para 2022, a previsão de gasto corresponde a 8,59% do PIB. Esse valor vai para 8,51% do PIB em 2023 e para 8,23% do PIB em 2024.

No caso dos gastos com pessoal, a despesa esperada para 2022 é de R$ 346,328 bilhões (3,9% do PIB). Esse valor será de R$ 356,056 bilhões (3,74% do PIB) em 2023 e de R$ 365,534 bilhões (3,59% do PIB) em 2024.

Fonte: Valor Investe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *