Experimento do Marshmallow: o que ele pode nos ensinar sobre cuidar do futuro?

22/04/2021

Apesar da carência de educação financeira em nosso país, muitas pessoas entendem que precisam cuidar bem do dinheiro. Mas uma das grandes dificuldades está na falta de autocontrole que leva ao endividamento. Assim, fica difícil construir um patrimônio e evoluir financeiramente.

Sobre isso, é possível aprender lições valiosas do experimento do marshmallow. Já ouviu falar dele? Nos tópicos a seguir, você entenderá a experiência e descobrirá o que ela ensina sobre o autocontrole e a relação com sua vida financeira.

Continue a leitura e aproveite as informações que separamos para você!

O experimento do marshmallow

Na década de 1960, o psicólogo Walter Mischel decidiu fazer um teste para avaliar o nível de autocontrole de um grupo de crianças. Esse teste ficou conhecido como “teste do marshmallow”, mas o pesquisador usou outros doces também.

Ele deixava que os participantes escolhessem o que mais gostassem: chocolate, sorvete, bala, cookies, e assim por diante. Então a criança era levada para uma sala e sentada em uma cadeira diante de uma mesa. Sobre a mesa, era colocado o doce preferido dela.

Depois, ele dizia para a criança que sairia da sala e a deixaria sozinha com o doce. Se ela não o comesse, ganharia mais um quando o psicólogo voltasse. Se ela quisesse, poderia comer o que estava lá – mas, nesse caso, ela não ganharia o segundo doce.

Assim que o pesquisador saía da sala, você consegue imaginar como a criança se sentia estando diante de um doce delicioso? Esse experimento foi repetido por outros pesquisadores em tempos mais recentes, e alguns deles estão disponíveis em vídeo na internet.

Os vídeos mais recentes

Os vídeos recentes do experimento demonstram exatamente esse padrão de comportamento visto por Mischel. Alguns participantes começam a comer o doce antes mesmo de a pesquisadora sair da sala. Outras conseguem se controlar — às vezes com um grande esforço. Certas crianças usam até mesmo a estratégia de cheirar o doce ou retirar pequenos pedaços por vez, tentando resistir. Para as crianças esse sacrifício é grande, pois por conta do nível maturidade cognitiva delas, alguns minutos sendo privadas dá prazer pode parecer uma eternidade.

Quando a pesquisadora volta para a sala, ela dá o segundo doce a quem não tinha comido o outro. É uma recompensa para quem conseguiu agir com autocontrole.

Mas, afinal, a que conclusões o experimento do marshmallow nos leva?

As conclusões desse experimento

A questão principal que gira em torno do experimento é o autocontrole e seus benefícios. As crianças sabiam que poderiam usufruir de um benefício caso se controlassem: elas teriam doce em dobro se soubessem esperar.

A dificuldade é que o desejo de ter prazer no presente pode dificultar a espera, exigindo muita força interior. Algumas crianças conseguiam isso, mas outras não. Aquelas que optavam pelo prazer imediato — o que é muito mais fácil — não recebiam a recompensa depois.

Um ponto interessante é que o experimento do marshmallow não se limitou a esse teste na sala. As crianças foram acompanhadas por muito tempo — e isso ajudou Walter Mischel a tirar conclusões valiosas.

Segundo ele, aquelas que agiram com autocontrole durante o teste demonstraram ter mais autoestima no futuro, além de serem mais saudáveis. Elas também tiveram melhor desempenho na escola e no trabalho.

Isso significa que o mesmo autocontrole que as beneficiou no teste provavelmente foi vantajoso no decorrer de suas vidas. Na hora de tomar decisões, essas pessoas conseguiam abrir mão de um prazer imediato para obter uma vantagem maior no futuro.

Lições que o experimento do marshmallow ensina

Agora que você já entendeu o experimento do marshmallow, é hora de compreender as lições que ele ensina.

Você precisa tomar decisões a todo momento, não é verdade? Elas podem ser pequenas ou grandes.

Durante as tomadas de decisão, é natural que surja o desejo de fazer o que é mais fácil ou que traz prazer imediato. Por exemplo, um trabalhador autônomo precisa ter cuidado para organizar bem sua agenda de trabalho. Do contrário, poderá desperdiçar tempo com coisas menos importantes.

Algo parecido acontece quando se trata de saúde. Até se acostumar a praticar atividades físicas, pode ser muito difícil ter disciplina para manter a rotina. Muitas vezes, a vontade é assistir televisão em vez de se exercitar.

Isso vale também para hábitos diversos, como ler e estudar. São atividades que exigem certo grau de esforço, — mas que, no futuro, podem trazer resultados vantajosos. Esses são alguns exemplos que mostram a importância de tomar decisões inteligentes e se apegar a elas no decorrer do tempo.

No entanto, sabia que o experimento do marshmallow tem um significado especial quando se trata da sua vida financeira? Entenda isso a seguir!

A relação entre o experimento do marshmallow e as finanças

Quem assiste o experimento do marshmallow pode considerar divertido ver as crianças lidarem com o dilema de comer ou não comer. Mas os adultos enfrentam uma questão parecida quando se trata de como gastar o dinheiro.

Muitas pessoas se endividam por conta do hábito de fazer compras por impulso. Esse consumo traz um prazer imediato, mas costuma trazer uma série de problemas. Por exemplo, há pessoas que chegam ao ponto de ter mais despesas do que o salário consegue custear.

Isso faz com que os problemas financeiros se acumulem, tornando-se cada vez mais difícil resolvê-los. Pense em como o autocontrole pode ajudar nesse sentido. Quem tem essa força interior evita se endividar e vive de acordo com o controle financeiro que montou.

Assim, essa pessoa consegue estabelecer objetivos financeiros e investir dinheiro. Com isso, a saúde financeira é bem maior, o que contribui também para a saúde mental.

Além disso, quando alguém se torna um investidor, ele consegue planejar o futuro e construir uma longevidade financeira. Essa longevidade está relacionada com a sua capacidade de gerar renda suficiente para cobrir suas despesas de modo confortável durante toda a sua vida.

E também ato de investir nosso dinheiro é literalmente o que vemos neste experimento: evitar um prazer no presente (comer o marshmallow / gastar nosso dinheiro em consumo) para desfrutarmos de um prazer maior no futuro (comer o dobro / usar nosso dinheiro com rendimento que tivemos de retorno enquanto ele estava aplicado em um investimento).

Para isso, como vimos, é preciso ter autocontrole e usar o dinheiro de maneira sábia, pensando nos seus objetivos de longo prazo.

Com o experimento do marshmallow, você pode perceber o quanto o autocontrole é importante. Com essa qualidade, é possível ter uma vida mais satisfatória e alcançar objetivos de longo prazo. E lembre-se: nunca é tarde para desenvolver a habilidade e ter uma vida financeira equilibrada!

Fonte: Como Investir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *