Como os profissionais de investimento podem ajudar você neste momento

20/07/2020

Em momento de turbulências e crise financeira, como essa que estamos passando causada pela pandemia da Covid-19, é comum que as pessoas se sintam inseguras em relação aos seus investimentos, sem saber exatamente o que fazer. Quem poderia te orientar para que você tenha todas as informações de que precisa para atravessar melhor esse período?

A resposta é: um profissional de investimento! Existem vários tipos de profissionais diferentes no mercado financeiro, e cada um deles exerce uma função bem específica. Eles desempenham atividades que exigem formação, certificações e registros diferentes.

Conheça alguns dos profissionais do mercado que você pode consultar na hora em que se sentir inseguro com os seus investimentos.

Gerente de banco

O gerente de banco ainda é a primeira fonte de informação sobre investimentos para boa parte das pessoas: 40% dos brasileiros buscam informações sobre aplicações financeiras com os gerentes de banco, presencialmente, nas agências, segundo a nova edição da pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro. O gerente é um funcionário da instituição financeira que apresenta e oferece os produtos de investimentos disponíveis para os clientes.

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) provê certificações — CPA-10 e CPA-20 — voltadas aos profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento diretamente para o público, tanto em agências bancárias quanto em plataformas de atendimento.

Isso significa que o profissional que está atendendo você precisou comprovar seus conhecimentos em uma prova antes de exercer a função de gerente. Assim, procuramos nos assegurar que quem atua na linha de frente dos bancos esteja preparado para prestar um atendimento de qualidade ao público.

Em geral, o gerente conta também com o suporte da área de investimentos do banco. Por isso, ele está sempre atualizado e é capaz de orientar o cliente em relação a possíveis movimentações na carteira de acordo com o cenário do momento, sempre respeitando o perfil de investidor do cliente.

Planejador financeiro pessoal

O planejador financeiro pessoal é o profissional que elabora, apresenta e executa estratégias de planejamento financeiro a partir dos objetivos, expectativas e necessidades de seus clientes — algo totalmente personalizado.

A atuação do planejador financeiro pode ser comparada, por exemplo, à de um tratamento completo para o corpo. Se você quer emagrecer e entrar em forma, vai a um endocrinologista, vê como estão os seus exames, depois marca uma consulta com um nutricionista, que vai ajudar a melhorar a sua alimentação, e também pode contratar um personal trainer, que vai mostrar os melhores exercícios para você e como fazê-los.

O planejador financeiro pode fazer tudo isso pela sua vida financeira:

  • fechar um diagnóstico da situação atual;
  • apontar o que deve ser feito para melhorar;
  • acompanhar o cliente e corrigir o rumo, quando necessário.

Seu objetivo é, por exemplo, ajudar as pessoas a fazer um orçamento doméstico, assegurar o futuro dos filhos e garantir recursos para a aposentadoria. Ele pode atuar como autônomo ou ser funcionário de grupos financeiros, seguradoras, entidades de previdência complementar, entre outras.

Existe uma certificação para planejadores financeiros pessoais, que dá a esses profissionais o direito de usarem a sigla CFP (Certified Financial Planner). Para obtê-la, é preciso ser aprovado em testes que comprovam conhecimentos técnicos, formação, experiência profissional e postura ética. Trata-se de uma espécie de selo de qualidade concedida, no Brasil, pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

Agente autônomo de investimentos

Cabe a esse profissional a função de intermediar a comercialização de produtos financeiros entre as instituições do mercado (como as corretoras) e os investidores. Às vezes chamado de “corretor”, o agente autônomo é uma das principais ligações entre o público investidor e o mercado financeiro, atuando no atendimento e no suporte de todas as operações que os clientes realizam — seja na bolsa de valores, seja na negociação de títulos públicos, entre outros.

Esse profissional precisa estar registrado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), órgão do governo que regula o mercado. A ele cabem funções como:

  • prospectar clientes e novas contas;
  • dar informações sobre produtos e serviços oferecidos pela corretora;
  • receber, registrar e transmitir ordens e operações no mercado;
  • prestar suporte educacional e operacional para os clientes.

Para se tornar um agente autônomo, é preciso passar por testes aplicados pela Ancord (Associação Nacional de Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias).

Gestor

Os gestores são profissionais que podem realizar a aplicação de recursos financeiros em nome dos investidores, seja por meio de fundos, seja por carteiras administradas. É esse profissional que escolhe os investimentos que vão compor o fundo, como títulos públicos ou privados, ações etc.

Esse tipo de profissional não tem contato direto com o investidor comum. Mas é importante que você entende a função dele e como os seus investimentos em fundos estão sendo gerenciados.

Seguindo a política de investimentos da carteira do fundo (que você conheceu no momento da aplicação), ele decide o que comprar e realiza a aplicação. Gestores de recursos devem ser cadastrados na CVM. Também existe um exame de certificação específico — a CGA (Certificação de Gestores ANBIMA) – aplicada pela ANBIMA.

Agora deu pra entender o que fazem alguns dos principais profissionais de investimento. Então quando pintar aquela dúvida ou precisar de apoio em relação aos seus investimentos, você já sabe quem recorrer.

Fonte: ANBIMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat