4E Radar JUN/2021

15/06/2021

Cenário Internacional

EUA – O PIB dos EUA teve crescimento de 6,4% no 1º tri de 2021, na série com ajuste sazonal.
O número reflete a flexibilização de medidas de isolamento social e estímulos do governo no período.

UE – Na Zona do Euro, o PIB do 1° tri de 2021 teve contração de 0,6% comparado ao trimestre anterior, no dado dessazonalizado.
Resultado reflete a terceira onda da pandemia na região no primeiro trimestre do ano.

Cenário Político

Bolsonaro: uma tendência se espalha?

A CPI no Senado parece sugerir algo pouco verificado e digno de atenção. Em 2018, o Bolsonarismo não teve no Nordeste do Brasil uma penetração tão significativa em termos do pleito estadual. A despeito da rejeição ao presidente ser maior na região, parece haver um interesse de políticos locais ocuparem esse espaço de maneira mais
consistente do que a tendência verificada na eleição estadual/federal passada. Aqui se destacam os casos dos senadores Eduardo Girão (Podemos) no Ceará e do pernambucano Fernando Bezerra Coelho (MDB), líder do governo na casa;
Ademais, Fernando Collor de Mello estaria deixando o PROS para se vincular a uma legenda “mais bolsonarista”. Chama a atenção também o movimento de Eduardo Bolsonaro (RJ), que deixou o Republicanos e aguarda posição do pai para se filiar. Por fim, a médica Mayra Pinheiro, chamada de Capitã Cloroquina, mostrou em seu depoimento à CPI ser uma agente política que possui estratégia para além do que se possa pensar de uma adesão nada científica ao medicamento preferido do presidente. Candidata ao Senado pelo PSDB do Ceará em 2018, terminou o pleito que elegia dois representantes em quarto lugar com quase 1 milhão de votos. Pertenceu a grupos políticos importantes como a RAPS e a Fundação Lemann, cursa doutorado em Bioética fora do país e surge como potencial agente do bolsonarismo no Nordeste para 2022;
Por fim, merecem destaque os avanços de pedidos de impeachment, as acusações de corrupção por parte da imprensa, o olhar dos militares sobre o Planalto e toda uma sorte de agendas negativas que buscam minar o governo de Bolsonaro. Sobre a questão das forças armadas, incomoda muito os holofotes que têm sido lançados sobre componentes, sobretudo da ativa, que fazem parte do gabinete presidencial.

PIB

Projeção para o PIB de 2021 é de um crescimento de 4,5%. O número considera recuperação parcial da atividade econômica, principalmente no segundo semestre, quando se espera que a vacinação contra a Covid-19 ganhe força no país;

A Pesquisa Industrial Mensal de abril registrou queda de 1,3% na margem, depois de registrar recuo de 2,2% em março na mesma comparação;
Índice de Confiança do Consumidor (ICC) em maio teve crescimento de 5,1%, em termos dessazonalizados. Já o Índice de Confiança da Indústria (ICI) subiu 0,7% após quatro quedas consecutivas.

PIB Regional

O resultado do PIB regional na média móvel trimestral dessazonalizada terminada em março/2021, trouxe destaques
positivos para 17 unidades federativas;
Pela ponta positiva, estão as regiões CO (1,6%) e SE (1,0%). Os 3 principais setores no CO tiverem desempenho positivo no trimestre móvel, com destaque para a Agropecuária (5,4%);

Na ponta negativa estão as regiões N (-0,5%) e NE (-2,3%). A retração da Indústria na região N (-0,8%) e dos Serviços no NE (-3,8%) foram os principais condutores do resultado acumulado no período.

Mercado de Trabalho

Segundo a PNAD contínua, do IBGE, a taxa de desocupação (14,7%) no trimestre móvel encerrado em março teve alta
de 2,5 p.p ante o trimestre encerrado em março de 2020 (12,2%);
A população ocupada ficou relativamente estável em relação ao trimestre anterior, mas caiu 7,1% frente ao mesmo trimestre de 2020;

O Caged de abril acusou criação líquida de 120,9 mil vagas (criação de 178,3 mil vagas na série dessazonalizada);
As cinco regiões do Brasil registraram criação de vagas no quarto mês do ano, com destaque para Sudeste (49,3 mil
vagas).

Inflação

O IPCA de maio trouxe inflação de 0,83%;
No acumulado em 12 meses, a inflação foi de 8,06%;
O grupo que exerceu maior pressão positiva sobre o índice foi Habitação (1,78%) com impacto de 0,28 ponto percentual;

O IGP-M de maio registrou alta de 4,10%, ante 1,51% no mês anterior;
Novamente, os preços de commodities foram os grandes responsáveis pela aceleração do índice. Somados, minério de
ferro (20,64%), cana-de-açúcar (18,65%) e milho (10,48%) foram responsáveis por 62,9% da variação do IPA-M.

Política Monetária

Na reunião de maio, o Copom elevou a Selic para 3,50%;

O Comunicado enfatiza que, em relação à atividade econômica brasileira, indicadores recentes mostram uma evolução mais positiva do que o esperado, apesar da intensidade da segunda onda da pandemia estar maior do que o antecipado. Prospectivamente, a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia ainda permanece acima da usual, mas aos poucos deve ir retornando à normalidade;
Para a próxima reunião, o Comitê antevê a continuação do processo de normalização parcial do estímulo monetário com outro ajuste da mesma magnitude.

Política Fiscal

A arrecadação tributária e previdenciária de abril trouxe forte alta na comparação com o mesmo mês do
ano anterior, refletindo a base de comparação afetada pela primeira onda da pandemia;

O resultado primário do Governo Central em abril foi positivo em R$ 16,5 bilhões, vastamente superior ao mesmo mês do ano anterior, e um bom desempenho se considerarmos o período de pandemia. A tendência moderadamente positiva, de qualquer forma, não deve se sustentar na medida em que o isolamento social foi novamente restringido, devendo afetar mais fortemente a atividade econômica;
Contexto de crise provocado pela pandemia relega arrecadação ao segundo plano, uma vez que desafio esteve em aumentar dispêndio para evitar queda mais aguda da atividade econômica.

Taxa de Câmbio

Acreditamos que a taxa de câmbio tende a se estabilizar em patamar mais depreciado, em termos reais, frente aos níveis de 2010-2014, uma vez que os fundamentos políticos e fiscais encontram-se piores que àquele momento – mesmo com a alta de preços de commodities. Ainda, o cenário internacional quanto à liquidez tende a se manter favorável, favorecendo um real menos depreciado;

Continuamos a enxergar dificuldades em aprovar novas reformas, em especial a tributária, algo que certamente limita o potencial de recuperação do real;
No curto prazo, o Banco Central continua atuando no combate à volatilidade, tanto no mercado futuro quanto no spot.

BY ALEXSANDER QUEIROZ SILVA
Fonte: 4E

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *